Calendar

São Paulo - SP / Brasil.

terça-feira, dezembro 28, 2010

Sensoriamento Remoto II - parte 2

Orfeo Toolbox is not a black box

ORFEO Toolbox (OTB) é distribuída como uma biblioteca open source de algoritmos de processamento de imagem. OTB baseia-se na biblioteca de processamento de imagens medica ITK e oferece funcionalidades particulares para processamento de imagens de sensoriamento remoto em geral para imagens de alta resolução espacial. OTB é distribuído sob uma licença de software livre CeCILL (semelhante a GPL) para incentivar a participação dos usuários e promover a investigação reprodutível. A biblioteca é intensivamente testado em diversas plataformas como Linux, Unix e Windows. A maioria das funcionalidades também estão adaptadas para processar imagens enormes usando streaming e multi-threading o mais rápido possível.
Entre outros, OTB oferece uma série de funcionalidades fortemente documentada como:

  • Acesso às imagens: acesso otimizado de leitura / gravação para a maioria dos formatos de imagens de sensoriamento remoto, o acesso de meta-dados, visualização;
  • Filtragem: suavização (blurring), remoção de ruído (denoising), realce (enhancement);
  • Extração de características: os pontos de interesse, alinhamentos, linhas;
  • Segmentação de imagens: crescimento da região, bacias hidrográficas, conjunto de classes ;
  • Classificação: K-means, SVM, campos aleatórios de Markov;
  • Detecção de mudança.
  • Matematica de bandas (Band Math).
Coming soon .... (Orfeo é uma opera de Claudio Monteverdi, aguarde pois tem mais novidades)

Sensoriamento Remoto II - parte 1

PLEIADES - Programa de parceria e conceito multi-missão é o resultado do profundo estudo sobre a necessidade de evolução demandada pelos usuários.
Um programa de cooperação foi iniciado entre a França e a Itália, aproveitando toda a experiência de observação da Terra do CNES, para desenvolver o ORFEO (Optical and Radar Federated Earth Observation), um sistema dual de observação da Terra com resolução métrica, em que Plêiades (França) é o componente óptico e Cosmo-Skymed (Itália) é o componente do radar.
Ele é composto de dois "pequenos satélites"(massa de uma tonelada), oferecendo uma resolução espacial no nadir de 0,7 m e um campo de visão de 20 km. Sua grande agilidade permite um acesso diário em todo o mundo, que é uma necessidade crítica para a defesa e aplicações de segurança civil, e uma capacidade de cobertura necessária para o tipo de aplicações de cartografia à escala melhor do que os acessíveis aos satélites da família SPOT. Além disso, o PLEIADES têm capacidade de aquisição estereoscópica para atender as necessidades da cartografia fina, nomeadamente em regiões urbanas, e para trazer informações completas dada por fotografia aérea.
(Copyrights 2006 - © CNES e outras fontes)

Programa de
Acompanhamento
ORFEO
Ao
lado do desenvolvimento dos sistemas Plêiades (PHR) e Cosmo-Skymed (CSK), formando o ORFEO, o sistema dual e bilateral (França - Itália) para observação da Terra, o Programa de Acompanhamento do Orfeo foi criado para preparar, acompanhar e promover o uso e a exploração das imagens provenientes destes sensores.
A criação de um programa de preparação é necessária porque os novos recursos e desempenho dos sistemas ORFEO (óptico e radar de alta resolução, capacidade de acesso, a qualidade dos dados, a possibilidade de adquirir simultaneamente em óptica e de radar), implícita a necessidade de novos desenvolvimentos metodológicos: novos métodos de processamento, ou a adaptação de métodos existentes, a necessidade de realizar esses empreendimentos em estreita cooperação com os utilizadores finais, a integração de novos produtos em seus sistemas.

Este programa foi iniciado pelo CNES em meados de 2003 e durará até 2009. Ela consiste em duas partes, entre as quais é necessário manter uma forte interação:
  • A parte metodológica,
  • Uma parte temática.
No quadro da parte metodológica do Programa de Acompanhamento ORFEO a Agência Espacial Francesa (CNES) decidiu desenvolver o Orfeo ToolBox (OTB): um conjunto de componentes algorítmicos que permite capitalizar a experiência metodológica, e, portanto, utilizar uma abordagem incremental para tirar proveito dos resultados da pesquisa metodológica.

Tokio - Imagem fusionada do ALOS (PRISM/AVNIR-2)

Imagem ALOS de Tokio - Japão, formado pela fusão de imagem do sensor pancromático (PRISM - 2,5m) com a composição colorida em cores reais da imagem multiespectral (AVNIR-2) de 10m de resolução espacial. Para rodar a imagem é preciso ter instalada a máquina virtual JAVA.
Acesse: Pansharpen (PRISM/AVNIR-2) image over Tokyo

Geoinformatic Applications - plataforma de pesquisa geopespacial colaborativa

Geoinformatic Applications (GA) é uma organização colaborativa online, sem fins lucrativos e interdisciplinar, focada em fornecer soluções inovadoras de geoprocessamento. A organização tem como objetivos:
* fornecer sistemas com base científica de apoio à decisão para os usuários técnicos e não técnicos,
* aplicação de ferramentas GIS e tecnologias para uma variedade de problemas da pesquisa e da indústria, e
* estabelecer um ambiente colaborativo que facilite a cooperação entre os pesquisadores.

A GA realiza estes objetivos por meio da Seção de Investigação e Análise, que emprega análises em sistemas de informação geográfica e sensoriamento remoto. Atualmente, a Secção utiliza o ArcGIS 9.3, ERDAS Image 9.1, ENVI 4.7, IDRISI Andes, ER Mapper 7.1, R 2.10.1*, Maxent 3.3.2 (
Ecological Modeling), ILWIS 3.6*, DIVA-GIS*, SAGA*. (*Open Source)
A organização também fornece conhecimentos para os estabelecimentos que estão iniciando suas próprias
operações geoespaciais in-house e realiza projetos para aqueles que não têm capacidades geoespaciais próprias.

A organização está listada na idealist.org e LinkedIn.

The Geospatial Technologist (GT) é uma plataforma que promove o uso de tecnologias geoespaciais. Tem por objectivo facilitar a transferência de conhecimentos e a criação de uma rede internacional de estudantes, pesquisadores e profissionais envolvidos na troca de idéias e conhecimentos geográficos. A plataforma foi projetada para:

* postar pensamentos sobre as questões geo-espacial,
* Atualizações de notícias e links interessantes, e
* postagem de pesquisa atuais e em curso.

O listserv é projetado para ser um lugar onde:

* idéias podem ser trocadas,
* colaborações e propostas iniciadas,
* aconselhamento e assistência profissional são oferecidos,
* problemas são discutidos e resolvidos, e
* colegas podem ficar em contato.

O listserv promove um ambiente colaborativo. Lista de membros ajudam uns aos outros e oferecem uma outra crítica construtiva e opinião profissional sobre os problemas, questões ou assuntos que são postados.

Acesse: http://www.geoinformatic.org

Merkaartor - Editor OSM

Merkaartor é um programa belga para edição de mapas do OpenStreetMaps, com diversas ferramentas de edição de vetores.
Merkaartor tem algumas características únicas, tais como ...
* visualização do mapa
próximo do WYSIWYG , anti-aliasing, com nomes de ruas;
* Exibição de transparencia de recursos de mapa, como estradas, equipamentos públicos e áreas;
* editor de estilo para a apresentação do mapa, incluindo vários estilos;
* Suporte para o manuseio de estradas separadas;
* Fácil download e upload de dados OpenStreetMap;
* Renderizar uma área com o estilo atual (SVG ou Bitmap);
* Aplicação nativa (desenvolvido com o toolkit Qt4);
* Importação de arquivos NMEA;
* conexão em tempo real com o seu GPS;
*
Suporte experimental de dispositivo móvel (Pocket PC);
* Veja seus GPS tracks e fotos georreferenciadas (geotaggeadas) sem a necessidade de enviá-los (upload);
* Facilidade de produzir Walking Papers
(mapas de caminhamento).
Acesse: http://merkaartor.be

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Tradução do Manual do Quantum GIS 1.6

A Comunidade QGIS Brasil está fazendo um esforço para a tradução do manual da versão 1.6 do QGIS para português (do Brasil e também de Portugal, em conjunto com a Comunidade de Portugal). Eles fizeram a tradução da interface com o Usuário (GUI) por isso que o Quantum GIS pode ser instalado em português (o que tem facilitado para aqueles que não tem muita intimidade com a língua inglesa).
O Professor da UFSC, Arthur Nanni, está coordenando a equipe brasileira, para participar acesse o site QGIS Brasil e se inscreva. Precisa ter algum conhecimento em SIG (no QGIS é óbvio), em inglês (e portugês, claro) e um pouco de habilidade para usar um editor de linguagem TEX (formato que lembra textos em CSS ou XML, onde os códigos de formatação aparecem pelo meio do texto).
Para auxiliar na tradução existe um glossário (que está sendo montado) com termos a serem usados: http://wiki.osgeo.org/wiki/Qgis:_Manual_em_Português.
Acesse: http://qgisbrasil.wordpress.com/2010/12/02/traducao-do-manual-da-versao-1-6 e participe, vamos fortalecer a comunidade de usuários do Quantum GIS no Brasil.